Tuesday, 23 October 2007

Mané sem jaleco

Receita da Eliana do blog Sabores da Lica.

Essa é minha participação no rei da quinzena o feijão. Eu resolvi fazer uma comida mineira carregada de histórias pelo fato desse blog ter muitos visitantes Portugueses e fiquei pensando em brindá-los com a oportunidade de conhecer melhor nossas comidas e raízes. Em Minas Gerais existe também um prato chamado "Mané com jaleco" que nada tem a ver com esse pois é a base de carne com mandioca (qualquer dia posto a receita desse aqui). A cozinha mineira é muito romantica pra mim e eu acredito que o mineiro já nasce cozinhando (risos). Esse prato rústico é maravilhoso e me faz voltar no tempo. Espero que vocês gostem!


1 1/2 xícara (chá) de feijão vermelho ou carioquinha cozido sem sal e sem caldo
1 xícara (chá) de arroz cozido com sal e temperos
1 xícara (chá) de bacon em cubos
1 xícara (chá) de cebola picadinha
1 colher (sopa) de azeite
1 colher (chá) de alho amassado
10 folhas de couve rasgadas com as mãos
4 ovos
Salsinha picadinha
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Numa panela grande sobre o fogo médio, frite o bacon até dourar bem. Junte o alho e a cebola e refogue até dourar. Puxe o refogado para o canto da panela e abaixe o fogo. No centro da panela ponha os ovos, fure as gemas com um garfo e frite até ficarem firmes e levemente dourados. Ponha os ovos sobre o refogado no canto da panela. No centro da panela, ponha o azeite a pimenta e o sal, o arroz e o feijão e refogue-os por cinco minutos, misturando devagar. Misture tudo, inclusive os ingredientes que estavam reservados no canto da panela, com cuidado para que os grãos nãos se partam e os ovos fiquem em pedaços. Puxe toda a mistura para o canto da panela novamente e no espaço vazio, refogue a couve por 4-5 minutinhos, sem parar de mexer. Misture tudo novamente e sirva. Para acompanhar uma pimentinha de cheiro e fatias de linguiça fresca assada.Fonte: Chef- Vicente Teixeira



1 comment:

El kid said...

Eu sou um dos visitantes Portugueses - Maravilha da Web tão longe no entanto tão perto.
Bela sugestão com um bonito visual pessoalmente também gosto, quando as receitas tem raízes históricas, de as procurar e divulgar como forma de preservar a identidade cultural do povo.